domingo, 31 de janeiro de 2010

ISBN

Você sabe o que é ISBN?

Eu também não sabia até começar a trabalhar numa livraria. Segundo a Wikipédia

" International Standard Book Number, mais conhecido pela sua sigla ISBN, é o Número Padrão Internacional de Livro, um sistema identificador único para livros e publicações não periódicas.

Foi criado no Reino Unido em 1967 pela livraria W H Smith, sendo chamado inicialmente de "Standard Book Numbering" ou "SBN". Desde então, passou a ser amplamente empregado tanto pelos comerciantes de livros quanto pelas bibliotecas, até que, em 1972, foi adaptado internacionalmente como norma padrão ISO 2108 pela International Organization for Standardization.


O fundamento do sistema é identificar numericamente um livro segundo seu título, autor, país (ou código de idioma) e a editora, individualizando inclusive edições diferentes.


Uma vez fixada a identificação, ela só se aplica àquela obra e edição, não se repetindo jamais em outra.

Utilizado também para identificar software, seu sistema numérico é convertido em código de barras, o que elimina barreiras lingüísticas e facilita a sua circulação e comercialização.


A versatilidade deste sistema de registro facilita a interconexão de arquivos e a recuperação e transmissão de dados em sistemas automatizados, razão pela qual é adotado internacionalmente.


O ISBN simplifica a busca e a atualização bibliográfica, concorrendo para a integração cultural entre os povos.


O ISBN a partir de 1 de janeiro de 2007 passou a ser constituído por treze dígitos em vez dos dez dígitos.


O sistema ISBN é controlado pela Agência Internacional do ISBN, sediada em Berlim, na Alemanha, que orienta, coordena e delega poderes às Agências Nacionais designadas em cada país."


Então quando você estiver procurando por um livro, ao invés de chegar com esse discurso:

"Há então, estou procurando um livro que estava nessa mesa no ano passado...ele tem a capa azul, o nome do autor começa com E e o livro é mais ou menos dessa grossura e custava em torno de 30 dólares...."

Mostre que você é bacana e bem informado e chegue com o ISBN do seu livro, muito mais prático, fácil e eficiênte.

sábado, 30 de janeiro de 2010

Vespertino

Essa semana comecei oficialmente meu novo horário, depois de um mês de janeiro para lá de turbulento, parece que as coisas aos poucos começam a voltar ao seu devido lugar.

Como agora eu sou senhora dos meus horários e posso organizá-los como quiser, uma das primeiras providências que eu tomei foi de não almoçar fora de casa nos dias que não trabalho, programei os cardápios de cada dia e fui com a minha listinha para o supermecado.

Ao longo da semana fui usando os ingredientes, as cenouras viraram uma salada que acompanhou o salmão assado. O queijo gruyère virou pão de queijo para o café da manhã. A intenção era o penne virar piccolo penne clássico, receita da Carla Pernambuco, mas o frio polar aqui das terras do norte tirou os tomates-cereja das prateleira do supermecado. Pelo menos até a primavera
, assim fiz um macarrão basiquinho, com atum e pesto.

Agora é começar a planejar os menus da semana que vem.

Salada de Cenoura

do livro "Good Food for All"

3 cenouras grandes raladas
um punhado de salsinha e cebolinha picado
um punhado de uva-passa
3-4 c. de sopa de azeite
2 c. de sopa de vinagre
1/2 c. de chá de cominho
sal e pimenta-do-reino

Misture todos os ingredientes numa tigela. Deixe descançar por 15 minutos e sirva.

Pão de Queijo

400g de farinha de tapioca
2 ovos
150g de queijo gruyère ralado
200 ml de leite
150 ml de óleo
1 c. de sopa rasa de sal

Preaqueça o forno à 180ºC. Numa tigela misturar o sal e a farinha de tapioca. Numa panela ferver o leite com o óleo e misturar com a farinha com a ajuda de uma colher de pau, esperar esfriar alguns minutos. Misture com as mãos os ovos um a um, trabalhe a massa. Adicione o queijo ralado. Faça bolinhas de aproximadamente 4 cm e asse por 30 minutos até ficar dourado.

Piccolo Penne Clássico
do livro "Carlota - Balaio de Sabores"

400g de piccolo penne
3 xíc. de tomatinho-cereja cortado ao meio
18 bolinhas de mussarela de búfalo partidas ao meio
1/2 xíc. de folhas de manjericão
azeite de oliva extravirgem
1 c. de sopa de raspas de limão siciliano
uma pitada de açúcar
sal e pimenta-do-reino

Aqueça 1/3 de xíc. de azeite numa frigideira, junte os tomatinhos, o açúcar, sal e pimenta. Salteie bem. Coloque a massa(já cozida até "al dente"), acrescente o manjericão, as raspas de limão, acerte o sal e a pimenta. Misture bem e acrescente a mussarela. Sirva bem quente.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Joyeux Anniversaire


Papis completa anos hoje!

Feliz Aniversário, bolo e brigadeiro para você!




quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Biblioteca

Uma das primeiras coisas que eu fiz quando cheguei em Montréal foi a carteirinha da Biblioteca Nacional do Québec. Foi amor à primeira vista pela imensidão de livros, tão organizados tudo tão arrumadinho, tão moderno, tão eficiênte.

Fora o silêncio, nossa o silêncio...em algumas das poltronas espalhadas pela biblioteca o único barulho que se escuta é o dos passos das pessoas, a gente fica mesmo é na escuta dos nossos próprios pensamentos (o que as vezes é tão difícil, tanta interferência).

Foi na Biblioteca que depois de um ano eu voltei a estudar francês, ponto de partida dos meus projetos para 2010. Munida de gramáticas e afins fui lá buscar o silêncio, disciplina e concentração para me dedicar ao que estava ficando por demais em segundo plano.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Descendência

Essa semana, copiando algumas receitas do livro "Falling Cloudberries" da Tessa Kiros, eu descobri seus livros quando, antes de ir de férias para o Brasil eu descobri o livro "Postcards from Portugal", todo sobre a cozinha portuguesa, eu que estava louca para comer bacalhau, ia copiando as receitas e com elas a vontade só aumentando(como vontade dá e passa a minha passou, 2 kg de bacalhau depois).

A Tessa Kiros tem uma árvore genealógica para lá de interessante, ela é fruto da uninão de uma finlandêsa com um grego, nasceu em Londres mas se mudou com a família para Afríca do Sul quando tinha 5 anos, hoje ela é casada com um italiano e mora na Toscana(nada, mas nada mal). A idéia do "Falling Cloudberries" é resgatar as receitas da família e como todos os outros livros ele é lindo, cheio de fotos antigas da família.

Hoje testei as almôndegas, elas ficam uma delícia, na verdade tem o sabor bem parecido comas almôndegas da Marcella Hazan, a pimenta-da-jamaica é que dá o gostinho diferente no final.

Pensando em árvores genealógicas uma fotenha da minha:


Almôndegas Finlândesas

3 fatias de pão branco sem casca
2/3 de xíc. de leite
500g de carne de porco moída
500g de carne vermelha moída
1 ovo grande
1 cebola vermelha picada
2 c. de chá de pimenta da jamaica
60g de manteiga
2 c. de sopa de azeite de oliva
1 c. de sopa de farinha de trigo
200g de sour cream
geléia de cranberry

Embeber o pão no leite e deixar de molho até absorver. Adicionar as carnes moídas, ovo, cebola e a pimenta da jamaica. Tempere com sal e pimenta-do-reino. Faça bolinhas do tamanho de uma noz. Aqueça 40g de manteiga e o azeite numa frigideira, frite as almôndegas. Coloque a farinha na assadeira e o restante da manteiga e cozinhe até dourado. Retire a frigideira do fogo e adicione 2 xíc. de água quente. Leve ao fogo novamente. Coloque o sour cream e cozinhe até abter um creme espesso. Sirva o molho sobre as almôndegas, com geléia de cranberry e batatas cozidas.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Grace

A Grace foi uma das contratadas da livraria para trabalhar nesse Natal, semana que vem os contratos de período de festas acabam e infelizmente uma leva de gente muito bacana se despede da livraria.

Essa semana fizemos uma festa de despedida e a Grace cantou tão lindamente que não pude deixar de fazer um vídeo para colocar aqui. Fala se a música não é linda(composição dela, por sinal)?


video

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Chocolate Quente


Janeiro e Fevereiro são os meses mais duros do inverno por aqui, mal o ano começou e(pelo menos eu) já comecei a sentir a diferença. O ano começou com uma tempestade que durou dois dias e deixou a cidade coberta com muitos centímeros de neve, como era feriado a limpeza só começou a ser feita ontem a noite e a quantidade de neve acumulada era impressionante. Como o frio só vai embora agora em Maio o jeito é achar soluções para ele ficar mais doce e mais quente. Desde o inverno passado eu queria fazer chocolate quente, masm ele foi muito corrido, tinha acabado de chegar e não consegui achar uma brechinha para o meu chocolate quente. Um ano depois a oportunidade apareceu, um amigo querido estava triste, triste, com dor de amor, pensei que não tinha remédio melhor para um coração partido que uma caneca de chocolate quente.

Segui a receita da Nigella, adicionei uma xícara de creme de leite e usei chocolate meio amargo 65%, ficou igual ao chocolate quente da Juliette&Chocolat, o creme de leite deixa o chocolate mais espesso, eu achei muito grosso, da próxima vez vou fazer só com leite.

Chocolate Quente - da Nigella

2 xíc. de leite integral
100g de chocolate meio amargo
1 pau de canela
2 c. de chá de mel
1 c. de chá de açúcar mascavo
1 c. de chá de essência de baunilha
2 c. de sopa de rum

Numa panela leve ao fogo baixo o leite, o chocolate, o açúcar, a canela e o mel. Mexa até o chocolate derreter. Adicione a essência de baunilha e o rum. Acerte o açúcar se necessário.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Crêpes

Achei que fazer crêpes seria a melhor maneira de começar 2010. Resolvi que estava na hora de superar o trauma que eu tinha por não ter conseguido fazê-los bem feitos(não conseguia dominar a técnica de rodar a frigideira enquanto colocava a massa com a concha) na primeira vez que tentei trazer um pouco de Paris para a minha casa. Dessa vez resolvi testar a receita do super livro "Good Food for all"(a foto do crêpe de banana com Nutella é de dar água na boca). Mas um erro meu(não deixei a manteiga esfriar o suficiente antes de colocar na massa) fez toda a receita desandar com isso me vi com só dois ovos(a receita pede 3) e com todos os mercados da cidade fechados por causa do feriado e uma vontade enorme de comer crêpes. Como resolver? Saí garimpando receitas de crêpes, a do Panelinha pedia 2 ovos e duas gemas, a do meu livro de cozinha francesa pedia 3 mas a do site da Elle à la table pedia só dois, na medida certa para matar a minha vontade. Dessa vez fui com menos sede ao pote e derreti a manteiga em banho-maria(normalmente faço no microondas) e deixar esfriar por uma meia hora antes de começar a fazer a massa. A paciência foi retribuida com 4 crêpes deliciosos, 2 de queijo e 2 de chocolate(com a Nutella maison que eu fiz semana passada). Resolvi colocar aqui as receitas que eu achei, assim se você um dia se encontrar numa situação onde a vontade é maior que a sua quantidade da ovos, você encontre uma receita que se encaixe nos ingredientes disponíveis na sua geladeira.


Receita 1 - do livro Cooking French

2 xíc. de farinha de trigo
pitada de sal
1 colher de sopa de açúcar
2 ovos
400 ml de leite
20g de manteiga derretida


Receita 2 - do livro Good Food for All

1/2 xíc. de farinha de trigo
pitada de sal
2 ovos
1 gema
1 1/4 xíc. de leite
1 1/2 c. de sopa de essência de baunilha
6 c. de sopa de manteiga derretida

Receita 2 - Elle à la Table

4 ovos
500 ml de leite
250g de farinha de trigo
50g de manteiga derretida
pitada de sal
1 c. de sopa de essência de baunilha

Receita 3 - do Panelinha

1 1/4 xícara (chá) de farinha de trigo
2 ovos
2 gemas
250 ml de leite
30 g de manteiga derretida
1 pitada de sal

Não importa qual receita você escolher fazer você deve misturar a farinha, o sal e os ovos numa tigela e misturar com um fouet, quando a mistura ficar pastosa colocar um pouco do leite, misturar bem para não ficar empelotado, colocar alternadamente a manteiga e o resto de leite, depois a essência de baunilha. A massa deve descançar em temperatura ambiente por meia hora. Para preparar os crepes, leve uma frigideira antiaderente pequena ao fogo alto. Segure o cabo da frigideira com uma mão e, com a outra, coloque uma concha pequena da massa. Mexa rapidamente a frigideira, fazendo movimentos circulares, para que a massa cubra todo o fundo da frigideira. Atenção: a quantidade de massa deve ser pouca, para que o crepe fique fino e leve. Deixe a frigideira sobre o fogo alto até que as bordas do crepe comecem a soltar da frigideira. Vire o crepe com o auxílio de uma espátula e deixe dourar por 1 minuto.